sábado, 21 de novembro de 2015

in.digestão

           Fui te comendo pelas beiradas, tentando ir aos poucos para te saborear melhor. Fui lambendo sua existência, engolindo a seco suas qualidades infindas e te devorando. Devorei!
Quem é você? Que sal da pele é esse que tempera minha carne e me faz tão mais gostosa do que eu sou (do que eu acho que posso ser)? O agridoce do seu beijo que me faz a saliva vir abundante molhando a boca e me faz só te querer. De onde vem isso? Te gostar me ataca a gastrite! Dois dedos na garganta e você não volta, merda! Eu não quero te cuspir, mesmo pensando e você dizendo que pode destruir toda minha mucosa (mesmo que você não queira). Eu quero enjoar! Quero sentir os solavancos do estômago te expulsando. Eu te quero, independente do custo, do prognóstico e de expectativas. 
             Bulímica de paixão, eu sei que sou! 







E quanto a você, me engole de uma vez, mas não me mastiga assim!

(Playlist: Lana Del Rey - Gods and Monsters)